Padre acaba de ser morto por Islamistas radicais com facadas no pescoço em Rouen, os dois suspeitos foram executados pela polícia.

Homens armados fazem reféns numa igreja em FrançaA igreja onde decorreu a tomada de reféns 

Dois homens armados com facas fizeram reféns cinco pessoas numa igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray, uma cidade da Normandia, no norte de França. Foram neutralizados pela polícia quarenta minutos depois.

O padre, duas freiras e dois fiéis foram retidos cerca das 08h30 em Portugal, por dois homens que entraram pela porta de trás do templo durante a Missa, celebrada pelo padre e à qual assistiam três irmãs e dois fiéis. 

Uma das freiras conseguiu fugir e foi ela quem deu o alerta, afirmou fonte policial ao Le Figaro. 

A polícia de intervenção isolou o local e acabou por “neutralizar” os assaltantes, afirmou um porta-voz do ministério do Interior de França.

Fontes policiais afirmaram ao Figaro que o padre foi degolado, tendo morte imediata. Foi identificado como Jacques Hamel, de 84 anos.

Três reféns foram feridos e um deles está entre a vida e a morte, afirmou o porta-voz do Ministério do Interior, Pierre-Henry Brandet. 

Um camião das equipas de desminagem está no local e toda a igreja está a ser inspeccionada para se ter certeza que não foi armadilhada, revelou a mesma fonte.

Investigação anti-terrorista

A população da vila não ganhou para o susto.

“Preparava-me para sair a fazer compras e a polícia caiu-me em cima aos gritos para me meter de novo em casa e me barricar”, contou uma habitante da praça onde está a igreja.

Noutra rua um comerciante afirmou ter ouvido “vários tiros” cerca de 40 minutos depois do início da tomada de reféns.

Os dois homens foram abatidos quando saíram para o adro da igreja, durante a operação para por fim ao sequestro. Não se conhecem ainda os motivos dos atacantes.

A igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray ficou isolada após o sequestro Foto: Reuters

De acordo com fontes policiais citadas pelo Figaro pelo menos um dos sequestradores tinha barba e uma chachia, um pequeno barrete de lã usado pelos muçulmanos. A identificação dos suspeitos está ainda em curso.

O ministério do Interior saudou a pronta intervenção da polícia que, afirma, permitiu salvar três reféns.

As investigações ao sucedido foram confiadas à seção anti-terrorista da Procuradoria de Paris, sub-direção antiterrorista (SDAT) e à direção geral da Segurança Interna.

Papa associa-se à “dor e ao horror”

A igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray estava incluída na lista de alvos de um estudante argelino de 24 anos que pretendia atacar locais de cultos católicos também na região de Paris, afirma o Figaro. O projeto de Sid Ahmed Ghlam foi desmantelado e ele acabou por ser detido após matar uma pessoa quando fugia às autoridades.  

O vigário-geral de Rouen, Philippe Maheut, já está em Saint-Etienne-du-Rouvray, substituindo o bispo de Rouen, Monsenhor Dominique Lebrun, que se encontra em Cracóvia nas Jornadas Mundiais da Juventude, informou a Conferência Episcopal francesa, cujo presidente, Monsenhor Georges Pontier, recebeu uma chamada de Hollande.

Em Cracóvia, a equipa que coordena a presença francesa nas Jornadas reuniu-se de emergência durante o sequestro.

O Papa Francisco associou-se à “dor e ao horror” após o sequestro, enquanto o Vaticano condenou por seu lado “um assassínio bárbaro”.

“Estamos particularmente chocados porque esta horrível violência teve lugar numa igreja na qual o amor de Deus é anunciado”, reagiu o porta-voz do Vaticano Padre Federico Lombardi.

O Papa sente “a dor e o horror desta violência absurda” e “condena da forma mais radical qualque forma de ódio”, acrescentou.
Reações políticas

Tanto o Presidente francês François Hollande como o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, estão a dirigir-se ao local. 

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, exprimiu já o seu “horror por este ataque bárbaro”.

“Horror perante este ataque bárbaro a uma igreja de Seine-Maritime. Toda a França e todos os católicos estão feridos. Nós ficaremos unidos”, escreveu Valls.

Marine Le Pen, líder da Frente Nacional, o partido de extrema direita francês, reagiu no Twitter à tomada de reféns. “O susto de novo em #SaintEtienneduRouvray. O modus operandi faz evidentemente recear um novo atentado de terroristas islamitas”, escreveu. 

Já a sua filha, Marion Le Pen, foi mais apelativa.

“Eles matam os nossos filhos, assassinam os nossos polícias e assassinam os nosso padres. Acordem!” escreveu na sua conta Twitter.

Alain Juppé ficou “abalado”.

” Horror e barbárie em Saint-Etienne-du-Rouvrai. Um padre assassinado. Pensamentos para as vítimas, as suas famílias. Estamos todos abalados”, referiu Juppé no Twitter.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s