Queijos Franceses

Queijos franceses: centenas de tipos diferentes

Até algumas décadas atrás, nós, os brasileiros, conhecíamos pouquíssimos tipos de queijos. Somente com a abertura das importações começaram a aparecer novas variedades, ainda que em quantidade limitada — e logo surgiram suas versões brasileiras, algumas bem razoáveis. É difícil, portanto, imaginar as centenas de tipos diferentes de queijos que existem na França. (Parece que eles só não têm ainda o nosso velho e bom Catupiry…)

O General Charles de Gaulle disse uma vez (e muita gente já repetiu:): “Como se pode governar um país que tem 325 tipos de queijo?”. Atualmente, o número de queijos diferentes na França passa de 500. Como estarão os atuais governantes lidando com o problema? (Se o raciocínio inverso fosse correto, o Brasil seria facílimo de ser administrado…)

O queijo para os franceses não é apenas um alimento; é uma iguaria, e conhecê-lo, uma arte. Há queijos de todos os tipos, texturas, formas, cheiros, cores e sabores: cremosos, duros, lisos, esburacados, brancos, amarelados, marrons, com casca negra, com crosta macia, com a casca bem dura, com mofo das cavernas onde são amadurecidos, salgados, ligeiramente adocicados, picantes, e até com pequenos vermes, que os conhecedores não deixam escapulir. Para os poucos brasileiros fanáticos por queijos, capazes de ir à França apenas para saboreá-los, é uma emoção de molhar os olhos deparar-se com as prateleiras de uma boa fromagerie (queijaria).

Você não deve estar acostumado a incluir queijos nas refeições, muito menos queijos diferentes, de aparência estranha e sabor e aromas fortes… Porém, não deixe de pelo menos provar o queijo (ou as variedades da tábua de queijo) que lhe for oferecido após o prato principal; guarde um pouco de seu apetite para ele.

Caso esteja decidido a provar queijos daqueles que não se encontram no Brasil, em vez de ir a um restaurante pode comprá-los com facilidade em Paris. Faça-o de preferência em uma fromagerie, onde encontrará muitas variedades não industrializadas.
Embora certos queijos combinem melhor com determinados tipos de pães, uma boa baguete bem crocante vai bem com quase todos.

Queijos e vinhos

O melhor vinho para acompanhar um queijo é geralmente o produzido na mesma região. Afinal, são séculos de experiência dos habitantes locais, que não deve ser desprezada!
A maioria dos queijos vai bem com vinho tinto, mas muitos combinam também com certos brancos. Para queijos fortes, prefira vinhos encorpados e mais velhos (ou até certos vinhos muito especiais, naturalmente adocicados). Para queijos de sabor mais suave, escolha um vinho leve.
O ideal é que, ao comprar seu queijo, você já peça um conselho ao vendedor sobre o vinho mais indicado para acompanhá-lo. Muitas lojas já têm o vinho certo.
Se for degustar diferentes queijos, comece pelo mais suave, até chegar aos mais fortes. Depois de comer um bom roquefort, você não conseguirá sentir o gosto de mais nada!
Para trazer queijos franceses ao Brasil, você infelizmente será obrigado a comprá-los em embalagens industriais (latas),ou correrá o risco de vê-los apreendidos pela alfândega. Além disso, se transportar na bagagem de mão um queijo de cheiro muito forte, leve consigo um pára-quedas; é possível que os demais passageiros queiram expulsá-lo em pleno voo…

Os queijos mais conhecidos

Beaufort – São os gruyères franceses, feitos com leite de vaca na região da Savóia.
Bleus – Feitos com leite de vaca, têm veios azulados (daí o nome bleu) pelos fungos. A maioria tem sabor bem forte. O Bleu de Costaros é o tal queijo que tem “bichinhos”. Não confunda os bleus com os roqueforts.
Brebis – Como o nome indica, são feitos com leite de ovelhas (brebis). Existem muitas variedades de brebis produzidas em diferentes regiões da França.
Brie – São feitos de leite de vaca, cremosos por dentro e têm uma casca esbranquiçada. De consistência semelhante à do Camembert Lembra um pouco o Brie, mas seu sabor é mais suave.
Cabécous -São queijinhos produzidos em pequena escala, com leite de cabra das montanhas, na região de Rocamadour.
Camembert – Feito com queijo de vaca na região da Normandia, é o mais conhecido dos queijos franceses; seu sabor é inconfundível.
Cantal – É um queijo de sabor bem pronunciado, de leite de vaca, originário das regiões de Auvergne e de Midi-Pyrénées.
Chèvres – No Brasil, se alguém disser que está com vontade de comer um “cabra”, não vai pegar bem! Mas na França, chévre (cabra) é a denominação dada a diversos tipos de queijos feitos de leite de cabra. Os Chèvres de la Loire, como o nome indica, são da região do rio Loire (onde estão os famosos castelos). A intensidade do sabor, a cor e a consistência dos chèvres variam muito. Alguns têm a casca bem firme e sabor pronunciado. Outros, como o chèvre doux, industrializado, são quase cremosos e de sabor bem suave. Os crotins de chèvre e os chevrettes também são queijos produzidos com leite de cabra.
Comte – Queijo montanhês ligeiramente adocicado, de leite de vaca da região do Jura, bastante famoso na França.
Queijos da Córsega São geralmente queijos de sabor e cheiro forte, feitos de leite de cabras e/ou de ovelhas. O brocciu, queijo cremoso e suave, é uma exceção.
Emmental – Produzidos em diferentes regiões, o emmental e o emmental grand cru são famosos no mundo inteiro.
Munster – É um queijo típico da Alsácia e da Lorena, feito com leite de vaca. Gosto ligeiramente adocicado e cheiro forte.
Neufchâtel – Queijo da Normandia, feito com leite de vaca, em diferentes versões, é muito popular na França.
Port-Salut Queijo da região do Loire, um dos mais famosos, de produção industrial, de sabor e cheiro bastante pronunciados.
Raclette – Produzido com leite de vaca na região da Savóia, acabou por dar nome ao prato típico franco-suíço, no qual é servido derretido sobre batatas cozidas e picles.
Roquefort – Feito com leite de ovelha, é um dos mais famosos queijos franceses, de sabor pronunciado. O amadurecimento nas cavernas de Mont Combalou, na comuna de Roquefort, provoca o aparecimento de um mofo esverdeado que torna esse queijo inconfundível.
Saint-Nectaire – Queijo de leite de vaca, produzido na Auvergne, de sabor e odor fortes e característicos.
Tomme – Existem tommes de vaca e/ou de cabra, pequenos e redondos, produzidos na França inteira. Os da Savóia e os dos Pirineus são famosos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s